domingo, 13 de junho de 2010

uma noite...

Eu quero seguir adiante, mas quanto mais acho que estou progredindo.Maior se torna a saudade de você.Eu não quero lembrar, eu não quero olhar, mas tudo me lembra você. Por que as coisas são assim.Eu não achava mais que iria sentir essas borboletas no meu coração. Eu não achava mais que ia ter essa coragem de largar tudo. Mas de repente vem você, você que fez tudo parecer tão possível. Eu sei que não há nenhuma razão, nenhuma promessa. Nada pelo que esperar, mas ainda assim, não consigo tornar banal o que sinto. Não é um filme, não há final pelo qual esperar. Foi só uma noite na vida real. Mas para mim foi uma noite diferente de todas. Para mim foi o suficiente para acreditar que não acabaria com a chegada do sol. Eu não sei que fazer. Eu não posso pedir, eu não posso desejar, só posso esperar esquecer. Esquecer que numa noite encontrei a pessoa que queria poder entregar meu coração. Esquecer que numa noite achei ter encontrado meu porto seguro nos seus braços. Eu vou tentar dormir agora, ter fé que quando acordar amanhã esse vazio será menor. Mas hoje, agora, nesse exato momento não há outro lugar que queria poder estar se não a seu lado, nos seus braços. Mão há outro cheiro que queria poder sentir se não o seu. Não há outro som que queria poder ouvir se não o da sua voz dizendo meu nome, sorrindo pra mim. Não há nada que desejo mais do que poder olhar em seus olhos e ver o que vi naquela noite, a certeza de um novo e verdadeiro amor.

2 comentários:

  1. Lindo texto, parabéns! Quem sabe você não se torne a proxima escritora brasileira?!!! ♥

    ResponderExcluir